Breath of Fire 4 e o Sétimo Hóspede Maldito

Eu nunca tive um computador de última geração. Também nunca estive “a par” com a tecnologia de jogos, no sentido de não ter o videogame atual. Eu jogava no Mega Drive enquanto jogavam Final Fantasy 8 e tive um GameCube quando Playstation 3 estava no auge. Hoje as coisas se mantém mais ou menos da mesma forma. Então, quando esses tempos bateu uma vontade gigante de jogar um “jogo de exploração”, não pude pegar Demon Souls, nem Dark Souls ou BloodBorne. Se a vontade era só explorar, eu podia ir atrás de Dear Esther ou Everybody’s Gone to the Rapture,

Owlboy e a Sociologia

Owlboy é bom pra cacete. Até semana que vem, não esqueçam de curtir e se inscrev

KOF e Caminhadas na Praia

Eu nunca fui muito bom em jogos de luta (ou jogos em geral). Meus amigos sempre jogaram muito e muito bem, fazendo várias maratonas de jogatina que eu, normalmente, não participava. Ansioso por tomar parte nas atividades, eu acabava pesquisando em casa sobre o jogo, como se isso fosse, de alguma forma, me fazer jogar bem. É bem patético, eu sei. Mas nessas pesquisas eu acabei descobrindo que os criadores dos jogos colocavam muitos detalhes que, quase sempre, não eram percebidos. Coisas como:

X-Men 2: Ameaça Fantasma

PuloDuplo11Z

(Ok, ok. A piadinha do título de hoje foi muito sem criatividade. Desculpa. É que o título certo é X-Men 2: Clone Wars, daí… Desculpa.)

Aaaah, Mega Drive… Tantas emoções e aventuras… Jogos como Golden Axe (“Caraca, que nem RPG!”), Streets of Rage, Revenge of Shinobi (“Caraca, o Homem-Aranha!”), Road Rash, Columns… E Sonics. Mas acho que eu era muito burro e nunca conseguia zerar Sonic e, quando conseguia, era sem pegar as Esmeraldas. Não que hoje em dia eu consiga, mas pelo menos parei de tentar.

 Mas tinha um jogo que era mais difícil que qualquer Sonic. Desafiador, bem feito e instigante. Por anos, eu tentei dominar as técnicas necessárias para desvendar essa magnífica história e apreciar todos os detalhes que os programadores colocaram lá. Mas eu vou falar de Comix Zone em outro dia.

 Hoje é X-Men 2: Clone Wars.

 

Albieri!

(Hoje tá difícil…)

No jogo, os alienígenas Phalanx estão de volta e querem assimilar todos os habitantes da Terra. Eles capturaram e clonaram os mutantes, exceto um seleto grupo. Agora eles precisam se unir ao Magneto e derrotar os invasores, enquanto lidam com velhos conhecidos, como Sentinelas e o Apocalypse (o da Marvel).

Não entendeu nada? Sem problemas! É só colocar pra frente e atacar tudo que aparecer no seu caminho!

Imagem não relacionada.

Imagem não relacionada.

 

A história pode não ser muito original e o jogo pode não inovar em quase nada. Mas jogá-lo é extremamente prazeroso. A jogabilidade é muito fluida e os personagens são bem diferentes entre si. Sério, muito diferentes. Por exemplo, o Fera é lento, mas consegue grudar na parede e seus golpes são muito mais fortes que os dos outros personagens. Gambit é rápido e possui um raio de ataque maior. Ciclope usa golpes de artes marciais e pode “carregar” seu ataque ótico para causar mais danos à distância. Tudo respeitando os poderes e habilidades dos heróis nos quadrinhos. Inclusive…

 

DETALHES!!!

 

Psylocke. À primeira vista está ali apenas como fan service. E talvez esteja mesmo. Mas um programador sem nome resolveu gravar o nome desse jogo na história com ela. Como todos sabem (e se você não souber, aja como se soubesse), a ninja psíquica possui a habilidade de projetar uma “Lâmina Psiônica” (just go with it, é de quadrinhos que estamos falando), que causa imensos danos à mente de seus alvos. E quando usamos essa habilidade no jogo, é quase sempre morte certa pro inimigo. A não ser que seja uma máquina. Que não tem mente. Então, não pode ser atingida por ataques psíquicos. Que é o ataque da Psylocke…

Wow

Wow

 

Cacetada! Duvido que tinha disso no briefing do jogo! “Ei, programadores, gostaria de ressaltar a importância de respeitar as limitações dos poderes dos mutantes, viu?” Mas mesmo assim, tá tudo lá! Noturno escalando paredes, Wolverine com fator de cura E escalando paredes com as garras, tiros em todas as direções com o visor do Ciclope… É tanto detalhe e diferença entre os personagens que dá vontade de jogar de novo e de novo e de novo… (vamo escutar Blink de novo?)

E isso me deixa com uma dúvida martelando na cabeça.

 

POR QUÊ, RÓLIÚDI?! POR QUÊ?!

 

É tanto detalhe e tanta atenção que dá gosto de viver. Sério. Ou talvez nem tão sério assim, às vezes eu me empolgo. É tão maneiro ver os poderes funcionando da forma que você leu nos quadrinhos que torna, pelo menos pra mim, quase impossível entender a cabeça dos produtores de Hollywood.

Sério, o que cojones eles tinham na cabeça quando vieram com isso?

- Até o bonequinho tá triste.

– Até o bonequinho tá triste.

 

E não precisa ser gênio pra imaginar quão mais baixo é o orçamento de um jogo de Mega Drive, lançado em 1995, sequência do péssimo primeiro X-Men para o console. Assim, todo mundo vai (ou deveria ir) pro cinema sabendo que é uma adaptação e é impossível transportar com fidelidade total as coisas que a gente vê nos jogos, quadrinhos, livros… Mesmo assim, sempre tem o desvirtuado que considera ofensa pessoal quando vê que as coisas não acontecem exatamente como na mídia original. E esse cara a gente ignora.

Mas é um tapa na cara quando parece que os criadores dos filmes NUNCA leram o material original! E eu pergunto, por quê, gente? POR QUÊ?! Contrata alguém que conheça a história, nem que seja pra avisar “isso vai dar merda, chefia”. E aí se for o caso, o cineasta mantém a ideia, mas abdica do direito de reclamar que fã é muito chato.

Porque, olha… Eu nem vou começar a falar do Ciclope aqui…

Pulo Duplo é uma coluna semanal, comandada pelo Rafero, e trata sobre as coisas que só os Games trazem para nossa vida.

About The Author

  • x-men: mutant apocalypse > x-men 2: clone wars

    Abçs!

    • Quanto é a passagem pro Mundo do Contrário? Faz tempo que eu ando querendo te visitar.

  • RodoX

    cara… deu saudade agora. Tua coluna é muito bora brother, e o site aqui tá de parabéns!

    • Po, muito obrigado haha